COMPETIÇÃO NA PRAIA DE MARESIAS TEM FINAIS NESTE DOMINGO, COM TRANSMISSÃO AO VIVO PELA INTERNET

Com chuva, frio, vento e ondas, o primeiro dia do Circuito Medina de Surf 2018, apresentado por Armarinhos Fernando, reuniu quem realmente gosta do esporte, na Praia de Maresias, em São Sebastião, neste sábado (16). Apesar do cenário, um bom público acompanhou as disputas e viu grandes atuações da nova geração do surf. O evento segue neste domingo, com as finais das cinco categorias em ação, com transmissão ao vivo pela internet, no link www.institutogm10.com.br/ao-vivo/.

Depois de não avançar na sub15, Gabriel Klaussner, atleta do Instituto Gabriel Medina (IGM), se concentrou na sua faixa etária, a sub13 e garantiu a melhor atuação entre todas as apresentações do dia, com nota 7,5, para somar 13,5 pontos no total. Seu companheiro de equipe, Murillo Coura também garantiu 7,5, na sub11, e os dois dividem, momentaneamente, a Rip Curl Best Wave.

“Quero surfar bem novamente e vencer. Treinamos para isso”, falou o atleta de 13 anos. Já na sub15, outra boa performance foi do catarinense Luiz Mendes, com 7,13, somando 12,53, e mesmo já fora das disputas, Rodrigo Saldanha, mais um talento do IGM, aparece na lista das melhores notas, com 7,25 e 12,5. Entre as meninas, Isabela Saldanha foi a melhor na sub15.

A etapa está reunindo surfistas de vários estados, até mesmo do Nordeste, e é considerada a “porta de entrada” para o IGM em 2019. Na sub15, campeões paulistas estão classificados na semifinal, como Diego Aguiar, Ryan Kainalo e Caio Costa, este último mais um nome do Instituto. A categoria também conta com “novatos” entre os melhores, como o paulistano Phellipe Neves. Vale destacar que definidas as semifinais, dois atletas chegaram em duas categorias, Ryan Kainalo, na sub15 e sub13 e Ryan Coelho, também do IGM, na sub11 e sub13.

GABRIEL MEDINA – Quem também chamou a atenção foi Gabriel Medina, xará do primeiro brasileiro campeão mundial de surf e que dá nome ao Circuito. O jovem atleta de 13 anos, que veio da Bahia e mora em Ubatuba, perdeu em sua estreia na sub13, depois de cometer uma interferência (atrapalhar a onda do rival). O Circuito Medina foi o primeiro campeonato de base a usar o sistema de prioridade, já pensando no futuro dos atletas como profissionais.

“Eu não sabia que tinha prioridade, não me preparei para isso e acabei errado. Mas, com certeza, volto na próxima etapa”, lamentou, sem reclamar, o surfista, que apesar de ter perdido, saiu feliz da praia ao conhecer todo o IGM, onde sonha ingressar, com sua família, acompanhado por Simone Medina, a mãe do Gabriel Medina famoso.

Fora do mar, o Instituto Supereco fez um trabalho de conscientização sobre a importância da gestão de resíduos marinhos e foram colocados recipientes para lixo reciclável, orgânico e rejeitos. A atividade, que segue neste domingo, também conta uma ação prática com os alunos do Educomunicação, da Escola Estadual Nair Ferreira, fazendo entrevistas sobre surf e lixo aos atletas do Circuito e público presente.

Também neste domingo será realizada a Bateria Onda Azul Wizard Litoral Norte, com 11 crianças e adolescentes, que foram selecionados por um concurso de desenhos sobre o tema surf. A iniciativa será uma demonstração e realizada caso o mar ofereça condições de segurança para os participantes.

O Circuito Medina de Surf 2018 é apresentado por Armarinhos Fernando e é uma realização do Instituto Gabriel Medina, com apoios de Vult Cosmética, Pousada Tambayba, Rip Curl e Wizard Litoral Norte, supervisão da Federação Paulista de Surf e colaboração da Associação de Surf de Maresias e Prefeitura Municipal de São Sebastião, através do Departamento de Esportes Náuticos da Secretaria de Esportes.

Fotos: CACO REIS E FÁBIO MARADEI